sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Joranalismo da Universidade Castelo Branco apoia Projetos Sociais no Jardin Batan

Desde o início do segundo semestre de 2017, alunos da Turma de Comunicação Comunitária, do Curso de Jornalismo da Universidade Castelo Branco, Campus Realengo, veem trabalhando em apoio a duas instituições sociais, a Associação de Moradores e Amigos de Jardim Batam e o Centro Cultural Brasileirinho, ambas situadas na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em um sub-bairro de Realengo, O Jardim Batan. 


Os jovens acadêmicos, estão desenvolvendo um projeto de comunicação comunitária, que tem por finalidade atingir dois  eixos fundamentais, equipar a sala de Ballet onde é desenvolvido o projeto “Mudança da gente”, voltada para crianças e adolescentes, nas instalações da Associação de moradores do bairro Jardim Batan e formar uma turma de jovens jornalistas comunitários do Centro Cultural Brasileirinho, para a atingirem a consecução dos seus objetivos, os alunos tem se aplicado na busca de patrocínio, realizado bazares, venda de quitutes, o que já vem demonstrando alguns resultados, conseguiram comprar o espelho da sala de Ballet, conseguiram a doação das tintas que ajudaram na reforma do espaço que beneficiará cerca de 60 (sessenta) crianças da atividade de dança e outros projetos que também utilizam aquele espaço. 



Já no Centro Cultural Brasileirinho, o projeto do jornal "A Voz do Batan" e a formação de jornalistas comunitários anda a todo vapor... oa jovens da comunidade fizeram diversas vistadas a  Universidade Castelo Branco e receberam suas primeiras orientação rumo a comunicação comunitária.


Conhecendo a história do  Jardim Batan. 

O Jardim Batan, era uma grande fazenda onde havia criação de gado e uma vasta área de vegetação típica, que inclusive, seu nome é derivado de uma árvore, hoje extinta UBATAN.
A partir de 1970, o bairro recebeu pessoas oriundas de diversos lugares em seu território e em pouco tempo se tornou populoso. Como consequência dessas instalações, surge uma favelização no local, com pessoas tomando posse ilegalmente de terrenos particulares e com a construção de casas de forma precária, sem nenhum controle de órgãos fiscalizadores para tais construções.
Estima-se que o bairro tenha aproximadamente 50 anos, e atualmente tenha cerca de 50.000 habitantes, e que a grande maioria destes habitantes são oriundos da região Nordeste.
Projeto Protagonizando Minha História, agita Senador Camará


Democratizar educação e arte por meio da Cultura de Paz são os maiores objetivos da instituição. Para dar sequência a essas ações o Centro Cultural precisa de novos investimentos.

No dia 22 de novembro, a partir das 14h, o Centro Cultural a História que Eu Conto (CCHC), localizado em Senador Camará, realizará evento em comemoração ao  encerramento do projeto Protagonismo Cultural – Protagonizando Minha História,  patrocinado pela Prefeitura/SMC.  Na ocasião, crianças e adolescentes que participaram das atividades durante este ano vão fazer apresentações para demonstrar o que foi aprendido durante as aulas de dança, teatro e grafite. Ocorrerão no espaço da instituição, festival de dança, esquetes e exposição de grafite, tudo aberto ao público.

Criado para ser um provedor de oportunidades  à Vila Aliança e comunidades vizinhas da Zona Oeste do Rio, o Centro Cultural A História Que Eu Conto (CCHC), tem como base difundir educação e arte por meio da Cultura de Paz, metodologia criada pelo psicólogo e educador francês Pierre Weil. O CCHC, é fruto do sonho de um homem que no final da década de 80 foi um dos criminosos mais procurados no Rio de Janeiro: Samuel Muniz, o  Samuca.  Entretanto, sua vida no crime foi parada quando completou 22 anos de idade, após ser preso.  Ainda dentro da cadeia, Samuca teve contato com duas vertentes que mudaram sua vida para sempre: fé e música.   

Regenerado e cansado de ver histórias como a própria se repetindo entre jovens e adolescentes, Samuca juntou forças com dois amigos ( Jê e Binho) e decidiu dar vida nova a uma escola municipal abandonada na comunidade. Além de se tornar um instrumento facilitador de inclusão social, o Centro Cultural uniu os moradores da região e impulsionou neles o desejo de comandar a própria história através do desenvolvimento humano.


Desde a sua criação, em 2008, o CCHC já recebeu milhares de educandos, de diferentes idades, em atividades das mais variadas, desde dança contemporânea, pintura em tela, grafite, teatro e fotografia. Somente no primeiro semestre deste ano, mais de 150 jovens tiveram a oportunidade de ingressar no universo cultural da instituição.  Tanto esforço rendeu frutos importantes. Exemplo são as valorosas parcerias com empresas e entidades mundialmente conhecidas, assim como o respeito conquistado por meio de premiações. 

Dessa forma, foi possível ampliar  o sonho e continuar compartilhando ainda mais aprendizado para revelar novos talentos. Foi o caso do jovem Cety Soledade, que teve seu trabalho de grafite no Boulevard Olímpico aplaudido pela imprensa internacional devido à excepcional qualidade artística. 

Investindo no futuro

Para dar sequência às iniciativas desenvolvidas no CCHC, a instituição precisa mais do que nunca da ajuda de empresas, como também de pessoas físicas para patrocinar voos mais longos. Com uma participação inicial de apenas R$20, através do programa Sócio Realizador, o contribuinte alimenta o sonho de um mundo melhor por meio do desenvolvimento humano, transformando diamantes brutos em pedras preciosas.

Créditos: Fotos Divulgação/CCHC
Protagonismo Cultural: protagonizando minha história em Senador Camará
Todo mundo curte um bom evento cultural realizado pertinho de casa. E quando ele é gratuito ninguém pode falar que não tem dinheiro pra ir, não é? Então se liga aí no que vai ter em Camará:
Foto: CCHC
Nesta quarta (22) vai ser realizado o "Protagonismo Cultural – Protagonizando Minha História", a partir das 14h, no Centro Cultural A História Que Eu Conto (CCHC), que fica no bairro de Senador Camará.

Na programação, crianças e adolescentes do CCHC vão mostrar o que aprenderam durante o ano através de exposições de grafite, dança, teatro e apresentações de esquetes. Aberto ao público, o evento vai ser um diferencial na região.

Conheça o CCHC

Criado para ser um provedor de oportunidades  à Vila Aliança e comunidades vizinhas da Zona Oeste do Rio, o Centro Cultural A História Que Eu Conto (CCHC), tem como base difundir educação e arte por meio da Cultura de Paz, metodologia criada pelo psicólogo e educador francês Pierre Weil. O CCHC, é fruto do sonho de um homem que no final da década de 80 foi um dos criminosos mais procurados no Rio de Janeiro: Samuel Muniz, o  Samuca.  Entretanto, sua vida no crime foi parada quando completou 22 anos de idade, após ser preso.  Ainda dentro da cadeia, Samuca teve contato com duas vertentes que mudaram sua vida para sempre: fé e música.

Regenerado e cansado de ver histórias como a própria se repetindo entre jovens e adolescentes, Samuca juntou forças com dois amigos (Jê e Binho) e decidiu dar vida nova a uma escola municipal abandonada na comunidade. Além de se tornar um instrumento facilitador de inclusão social, o Centro Cultural uniu os moradores da região e impulsionou neles o desejo de comandar a própria história através do desenvolvimento humano.

Desde a sua criação, em 2008, o CCHC já recebeu milhares de educandos, de diferentes idades, em atividades das mais variadas, desde dança contemporânea, pintura em tela, grafite, teatro e fotografia. Somente no primeiro semestre deste ano, mais de 150 jovens tiveram a oportunidade de ingressar no universo cultural da instituição.  Tanto esforço rendeu frutos importantes. Exemplo são as valorosas parcerias com empresas e entidades mundialmente conhecidas, assim como o respeito conquistado por meio de premiações.

Dessa forma, foi possível ampliar  o sonho e continuar compartilhando ainda mais aprendizado para revelar novos talentos. Foi o caso do jovem Cety Soledade, que teve seu trabalho de grafite no Boulevard Olímpico aplaudido pela imprensa internacional devido à excepcional qualidade artística.

Investindo no futuro

Para dar sequência às iniciativas desenvolvidas no CCHC, a instituição precisa mais do que nunca da ajuda de empresas, como também de pessoas físicas para patrocinar voos mais longos. Com uma participação inicial de apenas R$20, através do programa Sócio Realizador, o contribuinte alimenta o sonho de um mundo melhor por meio do desenvolvimento humano, transformando diamantes brutos em pedras preciosas.

domingo, 12 de novembro de 2017

O Auto das Consciências aborda temas atuais de forma crítica em musical
Neste sábado (11), jovens atores do grupo Movanos encenaram a comédia musical "O Auto das Consciências", no anfiteatro da Universidade Castelo Branco campus Realengo. 


A cultura afro-brasileira foi o foco da comédia musical que trouxe à tona questões de alta relevância na sociedade moderna como: racismo, desigualdade social, preconceitos religiosos e as dificuldades enfrentadas por negros nas universidades e mercado de trabalho. De forma sátira, o espetáculo fez o público pensar de forma crítica frente à estes assuntos.

— O nosso trabalho como artista e ativista, que não está aqui apenas para pegar o dinheiro do show, é levar a crítica para o pensamento e para as famílias dos nossos jovens. Muitos pais perguntaram se teriam homossexuais na peça e não queriam que seus filhos participassem se houvessem. Eu precisei se reunir com estes pais e explicar a proposta do musical, e tudo foi muito transparente para eles saberem que estamos trabalhando seriamente — relata o dramaturgo de "O Auto das Consciências", Lu Fortunato.




Após o evento rolou um bate-papo com os diretores do musical e especialistas nos temas propostos.

— Foram oito meses de trabalho árduo para tudo sair como o planejado. Isso aqui é muito mais do que uma simples apresentação, há todo um processo de construção anterior, de engajamento e luta política com eles, com os pais e professores, até chegar nesta bela obra que fez todos se sentirem tocados. Temos um grupo de 30 alunos/atores, eu vejo grande talento em todos — disse Hudson Batista, diretor do musical.


Direção: Hudson Batista
Texto: L Fortunato
Direção Musical: Elvécio Martins
Direção de Movimento: Dudu Garcia
Elenco: Elvécio Martins, Franciene Glória, Léo Leal, Matheus Siar. 
Participação Especial: Estudantes do Colégio Estadual Monsenhor Miguel De Santa Maria Monchón

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Musical "O Auto das Consciências" vai divertir o público amanhã na UCB
A comédia musical vai começar às 11h deste sábado, dia 11 de novembro, no anfiteatro da Universidade Castelo Branco de Realengo.

Iniciativa do Movanos (Movimento Nosso) a comédia musical sacra é muito propícia para os dias de hoje. Vai ter cultura afro de qualidade na Zona Oeste: gospel, negro spiritual, funk e cantos tradicionais de matriz afro.


Direção: Hudson Batista
Texto: L Fortunato
Direção Musical: Elvécio Martins
Direção de Movimento: Dudu Garcia
Elenco: Elvécio Martins, Franciene Glória, Léo Leal, Matheus Siar. 
Participação Especial: Estudantes do Colégio Estadual Monsenhor Miguel De Santa Maria Monchón

Onde: Universidade Castelo Branco - Av Sta Cruz, 1631 Realengo

APOIOS
Fundação Telefônica Brasil
Aliança Empreendedora
Programa Caminho Melhor Jovem
Centro Artístico Daniela Marcondes

INGRESSOS: Consulte inbox na fanpage: https://www.facebook.com/movimentonosso/
Vendas revertidas para ações de fortalecimento da aprendizagem e difusão da cultura afro em escolas públicas. #MuitoMaisQueUmShow

CENSURA LIVRE - SOMENTE VENDAS ANTECIPADAS *SUJEITO À LOTAÇÃO*

O MOVANOS É UM EMPREENDIMENTO SOCIAL INOVADOR EM EDUCAÇÃO E CULTURA. AS RENDAS DESSE ESPETÁCULO SERÃO INVESTIDAS EM AÇÕES CULTURAIS PARA ESCOLAS PÚBLICAS, EM CUMPRIMENTO À LEI FEDERAL 10639/03, QUE TORNA OBRIGATÓRIO O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA EM TODA A REDE NACIONAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO.

domingo, 5 de novembro de 2017

Bangu Futmesa celebra 10 anos de existência
Neste sábado (4) o Bangu Atlético Clube recebeu, em sua sede na Piscina, seus convidados para a disputa da VII Copa Jubileu, comemorando os 10 anos de atividades ininterruptas do Departamento de Futebol de Mesa alvirrubro.


Em clima de muita animação e confraternização estiveram presentes amigos representando as equipes do: Aliados (Campo Grande), Amparo (Nova Friburgo), Tupynambás (Minas Gerais) e Vasco da Gama, além dos próprios atletas banguenses.


— Foi especialmente emocionante, e gratificante, termos a presença tanto de banguenses que estavam afastados das atividades, quanto a de ex-banguenses que hoje atuam por outros clubes, mostrando que a máxima de "não ser somente um grupo de botonistas que são amigos, mas um grupo de amigos que são botonistas" mostra-se absolutamente verdadeira — destaca Marcelo Coutinho, coordenador do Bangu Futmesa.


O Futebol de Mesa do Bangu Atlético Clube nasceu literalmente a partir de um sonho de infância de Marcelo Coutinho, coordenador geral do Departamento. E, em seu discurso de encerramento, Marcelo fez questão de agradecer a todos citando a passagem do Bhagavad Gita, musicada por Raul Seixas, que ele considera resumir bem essa caminhada de 10 anos: "Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade".

O Futmesa banguense treina todos os sábados, das 09:00h às 13:00h, na Piscina do Bangu, que fica na Rua Francisco Real, 1445, em Bangu.

Primeiro Encontro de Africanidades de Santa Cruz
Na próxima quarta dia 8 de novembro, às 19h, haverá um debate na Faculdade Machado de Assis, em Santa Cruz. No "Encontro de Africanidades" que está sob o tema "450 anos de Africanidades: Santa Cruz e o negro, sua história, educação e cultura". Serão abordados os diversos aspectos das africanidades e a importância da presença do negro dentro da temática proposta.


As inscrições podem ser feitas através do link: https://goo.gl/forms/RpRho4uzcytsui222 

Este evento está sendo realizado em parceria com o departamento de letras da Faculdade Machado de Assis (FAMA), durante a XX Jornada de Letras.


Local: Auditório da Faculdade FAMA - 4º andar.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Handebol de Areia faz sucesso na praia de Sepetiba; veja vídeo



Em entrevista ao Portal Zona Oeste Tudo de Bom, o atleta da seleção brasileira de handebol de areia, Thiago Gusmão, que é formado em Educação Física pela Universidade Castelo Branco e considerado o melhor jogador da modalidade em 2013, conta um pouco de sua trajetória.
Thiago Gusmão, peça fundamental para o evento acontecer na ZO, é morador de Campo Grande e já viveu por 22 anos em Sepetiba
— Eu me formei na UCB em 2006, que foi a faculdade que me deu toda sabedoria para trabalhar hoje como professor de Educação Física. Por ser atleta da seleção brasileira desde 2006, conseguimos uma parceria com a Federação de Handebol de Areia e trouxemos a 4ª etapa do Circuito Nacional para Sepetiba. Em 2013 no World Games realizado na Colômbia eu acabei saindo como o melhor lateral esquerdo do mundo, mas o título de melhor é uma consequência de um trabalho de anos — disse Gusmão.
Nas areias, o lateral esquerdo incentiva a equipe a todo momento
A pivô Renata Santiago, melhor na posição em 2014/2016 também relata seu caminho até chegar à seleção feminina.

— Iniciei jogando handebol de quadra com 11 anos em uma escolinha e em 2007 participei da minha primeira competição no de areia e gostei muito. Assim comecei a me dedicar à modalidade. Em 2009 veio a primeira convocação para a seleção ao qual, infelizmente, não pude comparecer às fases de treinamentos, mas logo a partir de 2010 estive em todos os treinos. Já no ano de 2013 competi e fui campeã pela primeira vez junto a seleção.
Renata está há 7 anos na seleção feminina de beach handball
Presente no evento, o vereador Willian Coelho (PMDB) enfatiza o apoio ao esporte e a importância deste torneio para o desenvolvimento social de Sepetiba.

— Esse é um tipo de evento que acontece muito na Zona Sul como em Copacabana, além de Barra e Recreio. Nós nunca tivemos aqui no bairro de Sepetiba um evento como esse. Então trazer essa programação para a região vai muito além do que incentivar o esporte, mas também agregar notoriedade para Sepetiba e mostrar que esse bairro histórico pode sediar eventos de grande importância como este. Estamos aqui desenvolvendo nossa Zona Oeste socialmente e economicamente com o Circuito de Handebol de Areia.
vereador Willian Coelho prestigiou e apoiou a quarta etapa da competição
















quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Materiais usados na Minustah retornam à Base de Apoio Logístico do Exército
Entre os dias 16 e 22 de outubro, os materiais de emprego militar (MEM) utilizados na missão de paz Minustah, no Haiti, retornaram para a Base de Apoio Logístico do Exército (Ba Ap Log Ex), que fica em Deodoro no Rio de Janeiro. 


Com o término da Minustah, após 13 anos de operação das forças brasileiras no país caribenho; veículos blindados, armamentos, munições, explosivos e 235 viaturas em 202 contêineres foram repatriados. Estes, pertencem a diversas classes de suprimentos como: o Batalhão de Infantaria de Força de Paz (BRABAT), à Companhia de Engenharia de Força de Paz (BRAENGCOY) e ao Grupamento Operativo do Corpo de Fuzileiros Navais.

Para a operação de recebimento do material, foram mobilizados mais de 100 militares, que se revezaram diuturnamente em missões de conferência, controle, descontaminação, segurança e escolta do material.


Para as ações de descontaminação do material, contou-se, ainda, com o apoio do 1° Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (1º Btl DQBRN).

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Crivella entrega 484 registros de imóveis a moradores da Zona Oeste
A prefeitura do Rio entregou, nesta segunda-feira (23/10), 484 contratos de RGI (Registro Geral de Imóveis) para moradores do Condomínio Vivenda das Coleirinhas, em Paciência, Zona Oeste da cidade. O empreendimento foi construído por meio do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal. Crivella disse que o próximo passo é criar uma área de lazer na região.


- Esse título de propriedade é a conquista de um sonho para pessoas que nunca imaginaram ter uma casa própria. Agora eles têm um patrimônio, pois o RGI é a garantia de um bem para cada um desses moradores - disse o prefeito, abraçado a Karen Lúcia de Araújo, de 39 anos, uma das pessoas beneficiadas com o RGI.
O sorteio das unidades habitacionais do Condomínio Vivenda das Coleirinhas foi realizado em 2015 e os apartamentos entregues em 2016. O Registro Geral de Imóveis é o documento final de garantia de propriedade dos imóveis.


A prefeitura faz a interlocução com os moradores após a liberação dos documentos por parte da Caixa Econômica Federal. Em 2017, já foram entregues RGI's em quatro condomínios: Vivendas dos Pintassilgos, em Santíssimo; Colibris, em Cosmos; Paçuaré I e II, em Paciência e, Vivendas das Garças, também em Paciência; somando 1.500 contratos, aproximadamente.

Fonte da matéria: rio.rj.gov.br

Prefeitura do Rio garante verba às Paradas LGBTs
A Prefeitura do Rio garantiu os recursos para a realização das passeatas LGBTs na cidade. A verba foi assegurada pelo Ministério da Cultura (MinC) que, em publicação no Diário Oficial da União da última sexta-feira (20), autorizou a captação por meio da Lei Rouanet para eventos do "Mês da Diversidade", instituído este ano. Elaborado pela Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS Rio) em parceria com a produtora Four X Entertainment, o projeto conseguiu a soma de R$ 1.372.625,00.
O secretário Nélio Georgini aparece no centro da foto; à esquerda dele, o Ministro da Cultura, Sergio Sá Leitão
A garantia dos recursos é resultado do trabalho realizado pela CEDS que, ao longo de todo o ano, interagiu com mais de 20 empresas em busca de viabilizar os eventos LGBTs do Rio por meio de Parceria Público-Privada (PPP). Uma delas é a Ambev que, após a atuação da coordenadoria, enviou carta de intenção de patrocínio para o MinC, oficializando o patrocínio ao "Mês da Diversidade". A Uber também apostou na cidade e fará repasse direto à produtora Four X Entertainment.

Nélio Georgini, coordenador da pasta, viajou a Brasília no dia 25 de agosto para pedir celeridade no processo ao ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, tendo em vista a atual crise econômica que atinge o estado e o município do Rio.

"As passeatas não são simplesmente uma festa, elas representam um ato de cidadania em prol da causa LGBTQIA, que busca visibilidade, igualdade e respeito entre os cidadãos. Para isso, investimos no diálogo com empresas e grupos sociais. Nossa equipe fez um grande esforço para elaborar e entregar tantos projetos. Ao mesmo tempo, vivenciamos um processo que foi um aprendizado especial para seguirmos com o fortalecimento do movimento e torná-lo sustentável", explica Nélio Georgini.

A programação do Mês da Diversidade é desenvolvida com outros órgãos da Prefeitura, como a Secretaria Municipal de Assistência Social e Diretos Humanos (SMASDH) e a Secretaria Municipal de Cultura (SMC).

"O trabalho conjunto com a CEDS Rio proporciona iniciativas que têm como destaque a promoção de diversas manifestações da cidade. Acreditamos na diversidade como um tema central para a cultura pulsante do Rio, e buscamos atrair parceiros que acreditem nesse potencial. Conseguir levantar recursos junto a empresas privadas reforça a credibilidade da gestão municipal, que não tem medido esforços para a realização de eventos e atividades culturais que expressem a marca da pluralidade do povo carioca", afirma Nilcemar Nogueira, à frente da SMC.

Para Pedro Fernandes, secretário municipal de Assistência Social e Direto Humanos, o apoio da iniciativa privada é essencial em um momento de crise.

"A gente fica muito feliz em poder dar continuidade aos eventos públicos com o patrocínio da iniciativa privada. Nesse momento de crise, essa parceria é fundamental para permitir que a Prefeitura realize eventos como esse, de grande importância para a inclusão", comemora.

Fonte da matéria: rio.rj.gov.br

2ª União Motociclista do RJ: exposições, tattoos, Dj's, bares e muito rock
Domingo, 22, foi dia de curtir a 2ª União Motociclista do Rio de Janeiro que rolou no Parque Shopping Sulacap. O evento começou às 11h e contou com bandas de rock, tatuadores, baber shop, expositores, bar temático, sorteios, Dj's nos intervalos e uma praça de alimentação para todos os participantes.
Foto: Euter Mangia
Uma Mega Estrutura foi instalada no local, onde os músicos se apresentaram.
Foto: Euter Mangia
Foto: Euter Mangia

Além de rock n' roll de alta qualidade, muita gente bonita esteve prestigiando as programações.
Foto: Euter Mangia
Foto: Euter Mangia
Foto: Euter Mangia

Segundo os organizadores do evento, o intuito do encontro é reunir amigos, motos custons e esportivas de todo o Rio de Janeiro, em uma super confraternização e troca de experiências adquirida pelas estradas em que os motoqueiros passam ao longo da vida.


PROGRAMAÇÃO DAS BANDAS (domingo 22/10)

11:30hs a 12:20hs - ANTARES
12:30hs a 13:30hs - PRAVDA CORE
13:40hs a 14:40hs - FAIM DEEP
14:50hs a 15:50hs - EMMET BRONW
16:00hs a 17:00hs - L.A ROCK BAND
17:10hs a 17:40hs - L.A ROCK BAND II 
17:50hs a 18:50hs - RED PLUSH 
19:00hs a 20:00hs - MAKING NOISE 
20:10hs a 21:10hs - ICE N' FIRE
21:20hs a 22:00hs - KENZZY




Arquivo do portal